Notícias

Voltar para listagem

Aneurisma: causas, sintomas e tratamento

Data: 06/09/2018
Aneurisma: causas, sintomas e tratamento

   O que é Aneurisma?

 

   O aneurisma é uma dilatação/acrescimento anormal de uma veia ou artéria que faz irrigação de sangue ao cérebro. A dilatação destas veias acontece nos pontos onde há uma espécie de bifurcação; localidades mais frágeis.

O aneurisma acontece quando esta veia excede o seu tamanho de forma desproporcional, causando grandes problemas a vida do ser humano. O aneurisma pode ocorrer em qualquer parte do corpo humano e não apenas na cabeça como estamos acostumados a ouvir; o problema não causa nenhum tipo de sintoma ao paciente, para que se possa haver uma prevenção com antecedência ao problema. Somente em estágio avançado as pessoas que desenvolvem aneurismas, começam a sentir sintomas como dor de cabeça forte e súbita. Porém, este sintoma só é observado quando o problema já esta em fase delicada e prestes ao rompimento da artéria.

     Quando o aneurisma se rompe, pode acontecer um sangramento importante ou trombose, fazendo a uma isquemia; ocasionando assim a falha na irrigação de sangue em algum membro do corpo.

 

O que causa o aneurisma

 

     Segundo o cirurgião vascular  Dr. Caio Knhis (CRM-18817/RQE-16491), os aneurismas apresentam grande influência genética, mas o especialista explica, que fatores como: tabagismo, pressão alta não controlada, aterosclerose, diagnóstico de outros aneurisma, favorecem seu aparecimento.

A idade mais comum para o diagnóstico de um aneurisma seria após os 55 anos; mas existem casos ou alterações genéticas em que o problema pode favorecer o aparecimento do problema já na adolescência. Se tratando de aneurisma periférico, sabe-se, que eles podem romper a qualquer momento, porém, o seu formato ou tamanho é que indicam esse risco. O aneurisma de aorta abdominal; (mais comum aneurisma periféricos) apresentam maior chance de rompimento com mais de 5cm de diâmetros ou em formato saculares, e a indicação cirúrgica depende de cada caso.

O aneurisma é uma doença silenciosa, e por isso não causa sintomas na  grande maioria dos casos, desta forma, as pessoas só irão desenvolver alguma queixa apenas na sua ruptura ou trombose, ocasionando um quadro de grande risco a saúde e alta mortalidade.

 

Exames recomendados e tratamento

 

     De acordo com cirurgião vascular, o recomendado é realizar sempre o exame, pacientes acima de 60 anos. “O recomendado hoje, principalmente para pacientes com mais de 60 anos, é procurar um cirurgião vascular ou um angiologista para realização do exame de ecodoppler de aorta obdominal, que é o local mais comum dos aneurismas periféricos, além do exame físico dos membros inferiores, que já pode verificar também um aneurisma de membros inferiores, ou seja as pernas”, aponta o Knihs.

     O médico aponta ainda, que se a pessoa tem histórico na família, o exame deve ser realizado por volta dos 50 anos, e a procura pelo médico especialista deve ser feita o quanto antes para que haja uma investigação do problema.

     Por ser uma doença difícil de perceber sintomas, a investigação e exames são importantes.  Na fase assintomática segundo o médico, é o momento em que o tratamento pode ser iniciado.

“Nem sempre é necessário à intervenção cirúrgica. Muitas vezes determinadas artérias, dependendo do tamanho em que ela se encontra há indicação de cirurgia somente quando atingir uma dimensão recomendada para o procedimento cirúrgico; sendo assim então, é necessário iniciar o tratamento com medicamento para evitar o crescimento”, explica o especialista.

 

     O tratamento para o aneurisma, tem ganho grande suporte com a evolução das tecnologias. Este processo geralmente acontecem de forma endovascular. “O Tratamento é realizado por dentro dos vasos, através de punção da artéria na virilha com anestesia local e sem necessidade de cortes. Diminuindo o período de internação hospitalar e principalmente aumentando a conforto pós-operatório dos pacientes.

No procedimento cirúrgico o processo é realizado com anestesia no local desejado, onde é realizado uma punção da artéria alvo, assim, por meio de microguias e cateter, conseguimos alcançar o aneurisma e dependendo do tipo ou localização, será implantado uma endoprótese ou mesmo pode ser optado por fechar essa doença, diminuindo assim suas possiblidade de ruptura ou complicações”, finaliza o especialista.