Jovens e adolescentes agora podem fazer Cirurgia Bariátrica

Jovens e adolescentes agora podem fazer Cirurgia Bariátrica

      Com autorização do Ministério da Saúde, a idade mínima para realizar cirurgia bariátrica mudou, agora, jovens a partir de 16 anos podem realizar o procedimento.  Anteriormente, a idade mínima era de 18 anos. Porém para o processo é necessário que os pacientes passem por uma avalição mais criteriosa.

A idade limite para realizar a cirurgia bariátrica passa a ser 65 anos, mas há critérios para indicação de cirurgia em pessoas com mais idade.

 

Orientações da sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica

 

§  Abaixo de 16 anos: exceto em caso de síndrome genética, quando a indicação é unânime, o Consenso Bariátrico recomenda que, nessa faixa etária, os riscos sejam avaliados por dois cirurgiões bariátricos e pela equipe multidisciplinar. A operação deve ser consentida pela família ou responsável legal e estes devem acompanhar o paciente no período de recuperação.

§  Entre 16 e 18 anos: sempre que houver indicação e consenso entre a família ou o responsável pelo paciente e a equipe multidisciplinar.

§  Entre 18 e 65 anos: sem restrições quanto à idade.

§  Acima de 65 anos: avaliação individual pela equipe multidisciplinar, considerando risco cirúrgico, presença de comorbidades, expectativa de vida e benefícios do emagrecimento.

 

“Para realizar o procedimento, não significa apenas querer fazer a cirurgia. Os pacientes jovens precisam ser avaliados em toda parte clínica, endocrinológica, pediátrica e ortopédica. E estes pacientes podem ser beneficiados por que sofrem muito”, esclarece Dr. João De Bona Castelan Filho, médico cirurgião (CRM-3607/RQE – 5896).

     De acordo com o especialista, jovens obesos nesta idade, perdem o convívio social, sofrem com preconceitos, além das dificuldades de realizar atividades para fazer o que os jovens de sua idade geralmente fazem.

     A normativa no Brasil já foi estabelecida, cirurgia bariátrica já pode ser realizada em jovens e adolescentes desde que as avaliações necessárias com os especialistas sejam feitas criteriosamente pelos responsáveis com o paciente.

     O Ministério da Saúde estabelece, que para realização da cirurgia é necessário também que o hospital tenha todas condições para o procedimento e para o pós-operatório. No Hospital São José, além do excelente Centro Cirúrgico, contamos com os exames de imagem e os equipamentos de endoscopia adequados. As cirurgias são totalmente por videolaparoscopia. Além da equipe cirúrgica, há o apoio sempre que necessário dos demais especialistas, como: cardiologista, anestesiologista, enfermeiros, clínico geral, pneumologista, endocrinologista, angiologista/cirurgião vascular, nutricionista, psiquiatra/psicólogo, assistente social e fisioterapeuta.

 

A obesidade no Brasil

     Segundo dados do Ministério da Saúde, no Brasil hoje, 18,9% da população é obesa, sendo já considerada uma epidemia da obesidade, e isso significa que um a cada cinco brasileiros são obesos.

Embora os números sejam alarmantes, estudos também apontam que o problema está dando indícios de estagnação, já que os números entre 2015 e 2017 mantiveram-se os mesmos.

      Uma pessoa é considerada obesa quando atinge um Índice de Massa Corporal (IMC) entre 30 e 40, e normal quando o IMC esta igual ou menor que 25. Tem sobrepeso quando o IMC é 25 a 29.

O excesso de peso (que também é causa de comorbidades) também tem tido um significativo espaço em sua linha de crescimento, atingindo 56% da população brasileira, em todas as faixas etárias de idade.

 

Fatores que levam a obesidade

    Os maus hábitos no quesito alimentar são os grandes vilões para o excesso de peso e consequentemente a obesidade. O consumo desenfreado de refrigerantes e bebidas artificiais, comidas de fast-food e alimentos calóricos e processados, associado ao sedentarismo, tem como resultado o excesso de peso.

Quando o paciente é submetido ao procedimento de cirurgia bariátrica é preciso manter a conscientização sobre o processo.

De acordo com a nutricionistas do HSJosé Mayara Callegari – CRN-104176), “o  acompanhamento nutricional ao paciente submetido a cirurgia da obesidade, é dividido em três fases: pré-operatório, pós-operatório imediato e educação alimentar. Além das orientações específicas de adequação da dieta no período pós-operatório, é indispensável a conscientização do paciente sobre a importância de manter hábitos alimentares saudáveis para evitar a recidiva de peso”, completa. 

     A obesidade é um problema que precisa ser observado com muita atenção, pois é por meio dela que muitas outras doenças crônicas que trazem grandes prejuízos para a vida da população, como a hipertensão e diabetes aparecem.

 

Prevenção e Tratamento

     Além de ter um cuidado específico com a alimentação, mudando os hábitos e tendo uma vida com prática frequente de exercícios físicos, que podem deter o progressivo ganho de peso, as pessoas em estágio mais avançado da obesidade devem procurar uma equipe de especialistas (endocrinologista, nutricionista, psicólogo, cirurgião bariátrico) para auxiliar no processo de escolha do melhor tratamento. Se a opção for pela cirurgia, após esta deverá continuar o acompanhamento com a mesma equipe, para obtenção e manutenção dos melhores resultados. 

Notícias São José