Notícias

Voltar para listagem

Infecção você sabe o que é e como tratar??

Data: 26/06/2018
Infecção você sabe o que é e como tratar??

O que é, como ocorre a infecção e como tratar?    

 

      A infecção é uma invasão em um determinado local do corpo por parte de organismos muito pequenos que só podem ser vistos por meio de microscópio. Vírus, bactérias, protozoários/helmintos e fungos, são os principais microrganismos causadores de doenças em humanos.

Uma doença infecciosa para ocorrer, depende do microrganismo e da defesa do organismo. 

     Os agentes infecciosos irão causar danos às células que por sua vez que atinge várias funcionalidades do corpo humano. Quando a infecção causa sinais e sintomas aparentes, chamamos de doença infecciosa.  "As infecções podem atingir qualquer órgão e os sintomas são bem variáveis. A febre é um sintoma presente em praticamente toda infecção; porém, existem infecções que podem acontecer sem a presença de febre. Da mesma forma, nem todo quadro febril quer dizer infecção", aponta o médico infectologista Dr. Raphael Elias Farias ( CRM-13081/RQE-9915).

     As infecções devem ser tratadas conforme o agente causador: se bactérias, antibióticos, se fungo, antifúngicos, se viral, antivirais.

 

 

 

Quanto aos agentes causadores:

 

     Cada um deles se subdivide em milhares de tipos/subtipos podendo causar inúmeras doenças infecciosas.

 

Entre os exemplos mais comuns, destacamos:

 

- Bactérias: E. coli (causa comum de Infecção urinária), S. pneumoniae (pneumonia bacteriana), N. meningitidis (Meningite bacteriana)

- Vírus: Influenza (Gripe), Varicela zoster (Catapora/Herpes zoster), HIV (HIV/AIDS)

- Fungos: Cândida albicans (corrimento vaginal)

- Protozoários/Helmintos: Giardíase, Amebíase, Estrongiloidíase

 

Para cada microrganismo temos tratamentos específicos, conforme a doença infecciosa.

 

 

Quanto às medicações utilizadas:

 

- Antibióticos possuem ação contra bactérias

- Antivirais - Vírus

- Antifungícos - Fungos

- Antihelmínticos - Helmintos 

 

      Desta forma, frente a uma doença infecciosa, o médico deverá com a história, exame físico e exames laboratoriais, elaborar hipóteses diagnósticas e tratar especificamente o microrganismo causador do problema.

O tempo de tratamento para cada infecção depende do agente causador que irá determinar o tempo ideal de uso do medicamento é o médico responsável pelo atendimento e acompanhamento. O Infectologista é o especialista com experiência em infecções e pode ser procurado para estes atendimentos quando necessário.

     Em algumas situações infecciosas pode acontecer a resistência bacteriana a antibióticos; ou seja, as bactérias literalmente se “acostumam” aos antibióticos que deixam então de fazer efeito, deixando que as bactérias se multipliquem. Quando isso acontece o uso de medicamentos cada vez mais potentes começam a ser utilizados.

Em outros casos do processo infecioso bacteriano, podem surgir abcessos e estes evoluírem com ruptura. "Quando os abscessos são externos, a drenagem deles representa uma evolução favorável do caso. Muitas vezes eles são drenados artificialmente, por médicos . No entanto, se são internos e drenarem para o interior dos tecidos ou de cavidades, podem causar complicações", destaca o especialista.

 

A imunidade às infecções

 

     Ao nascer o ser humano já possui um sistema imunológico próprio, capaz de apresentar barreiras naturais quando ameaçado por algum agente infeccioso presente no meio ambiente.

Estudiosos apontam, que se o ser humano não tivesse este sistema protetor natural de defesa, a humanidade não existiria.

     A própria pele é um sistema de defesa do ser humano, protegendo de diversos agentes externos.

Quando estas barreiras são ultrapassadas é que acontece a invasão de microrganismos ocasionando então uma infecção local.

   Nosso corpo possuí um sistema imunológico complexo, com vários mecanismos e células de defesa que fazem com que tenhamos um interação com o mundo e nos proteja de infecções.

Cada pessoa tem uma resposta imunológica específica, seja pelo seu histórico de exposição ou por sua genética. As vacinas são grande exemplo de estímulo ao nosso sistema imune para que nos proteja de infecções.

 

Fotos da notícia