Notícias

Voltar para listagem

Videolaparoscopia, um “olhar” dentro do abdome

Data: 12/03/2018
Videolaparoscopia, um “olhar” dentro do abdome

     A videolaparoscopia é um tipo de via de cirurgia usada em praticamente todas as especialidades cirúrgicas. Na ginecologia os principais motivos pelo qual pacientes realizam cirurgias videolaparoscópicas são para esclarecimento de dor pélvica crônica, sangramento uterino anormal, desejo de anticoncepção permanente e investigação de infertilidade.

“A intervenção por meio da videolaparoscopia se torna interessante no manejo de pacientes com sangramento menstrual aumentado, doenças das trompas e ovários, como cistos e nódulos suspeitos de malignidades e ainda para laqueadura tubária (“ligar as trompas”) ou salpingectomia bilateral (retirada das trompas) quando há o desejo de anticoncepção permanente ou nos casos de contraindicação ao uso de hormônios”, pontua Ana Cláudia Zimmermann (CRM 19938/RQE 14739), médica do Hospital São José, ginecologista, pós-graduanda em Cirurgia Minimamente Invasiva Ginecológica.

     Problemas como a endometriose, a adenomiose, o sangramento uterino disfuncional e o câncer de endométrio (corpo do útero) são causas de sangramento menstrual aumentado e cólicas intensas que podem ser tratados através da histerectomia e videolaparoscópica. Os miomas também cursam com estes sintomas, que podem ser resolvidos através da retirada do útero por inteiro (histerectomia) ou somente do mioma (miomectomia) quando há desejo de gestar futuramente ou por outros motivos pessoais.

De acordo com a especialista, na abordagem da infertilidade por endometriose, por exemplo, o tratamento cirúrgico deve ser sempre realizado para retirar os focos de doença, aumentando as chances de gestação, principalmente nos primeiros seis meses após a cirurgia. “As cirurgias de emergência ginecológicas também podem ser realizadas por videolaparoscopia, como gravidez ectópica (aquela fora do útero, mais comumente nas trompas), abscessos tubo-ovarianos nas doenças inflamatórias pélvicas e torção ovariana”, explica.

 

Como é feito o procedimento?

 

     A cirurgiã explica que após a ampla avaliação da paciente por meio de exames de imagem, laboratoriais e pré-operatórios é que o procedimento pode ser agendado. “No dia da cirurgia a paciente deve estar com oito horas de jejum, então é realizada anestesia geral. São realizadas pequenas incisões ou cortes no abdome, a principal dentro do umbigo, no qual entra uma câmera que serve como os “olhos” do cirurgião, e outras duas ou três nas laterais do abdome, onde entram pequenas pinças que funcionam como “mãos”. Estas Incisões variam de 0,5 a 1cm. O tempo cirúrgico depende do procedimento a ser realizado e varia de uma a quatro horas”, explica.

A videolaparoscopia tem vantagens bem importantes para o processo de recuperação da paciente. Quando se realiza este tipo de procedimento a paciente tem menor tempo cirúrgico e de internação hospitalar, rápido retorno às atividades diárias, menores cicatrizes, menor chance de infecção de ferida operatória, menor dor no pós-operatório e menor formação de aderências e chance de dor crônica decorrente de cirurgias.

 

Significado de “videolaparoscopia”:

 

     O termo “laparos” vem do grego e significa abdome. Laparoscopia se referia, a princípio, uma maneira de olhar dentro do abdome. 

 

     Desde 1805 a laparoscopia é citada em trabalho médicos, porém só em 1913 foi realizada no Rio de Janeiro a primeira laparoscopia no Brasil, este procedimento, precursor de videolaparoscopia que conhecemos hoje em dia consistia na visualização da cavidade abdominal através de um tubo com lentes.

Com o avançar da tecnologia criou-se a videolaparoscopia que conhecemos hoje, onde através destas lentes é conectada uma câmera. Que filma e transmite para uma televisão em tempo real o que está ocorrendo dentro da cavidade abdominal do paciente, este sistema também permite a gravação do procedimento.

Poucos ramos da medicina dependem tanto de tecnologia e inovações como este, onde a melhor qualidade de câmeras, televisores e meios de energia proporciona realizar praticamente qualquer procedimento por esta via.

 

Saiba diferenciar:

 

●        Videolaparoscopia: um tipo de via de cirurgia usada em praticamente todas as especialidades cirúrgicas.

●        Endometriose: doença tratada por uma especialidade que é a ginecologia que pode ser abordada por via laparoscópica. A intervenção é realizada devido aos problemas de endometriose.