Notícias

Voltar para listagem

Mastologista do HSJosé dá dicas de prevenção ao câncer de mama

Data: 23/05/2018
Mastologista do HSJosé dá dicas de prevenção ao câncer de mama


   Quando o assunto é prevenção ao câncer de mama, rotineiramente a grande maioria das mulheres é bombardeada com uma enxurrada de informações a respeito da doença.

Checar sobre a veracidade destas informações é de extrema importância, pois nem sempre o que esta sendo divulgado é verdade de fato.

     Ouvir e ter sempre um profissional da área como fonte de informação, não é apenas importante, é necessário.

É muito comum surgirem dúvidas sobre quais são realmente as melhores formas de prevenção do câncer de mama.

Segundo especialistas, é importante ressaltar, que este tipo de dúvida ou alerta não deve ser esclarecido apenas no mês de conscientização da doença; outubro. Este alerta deve estar sendo lembrado todos os meses.

 

     De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer – INCA, para o Brasil, "estimam-se 59.700 casos novos de câncer de mama, para cada ano do biênio 2018-2019, com um risco estimado de 56,33 casos a cada 100 mil mulheres"; em Santa Catarina esse tipo de câncer é o primeiro mais frequente no público feminino.

Mas os dados também apontam, que o índice para cura do câncer de mama, pode chegar a 100% dos casos, se detectados na fase inicial. Quanto mais cedo ele for diagnosticado, melhores serão os resultados.

     Pensando nisso, em alertar a população, o serviço de mastologia do HSJosé elaborou algumas dicas fundamentais sobre a prevenção do câncer de mama.

 

     Dra Luiza Rosa Ramos (CRM 17299/RQE 14901), é médica mastologista do HSJosé e explica que cada vez mais se estuda sobre o problema e alerta que hoje em dia existem alguns fatores que aumentam o risco para este tipo de câncer e que são passíveis de modificação. A especialista faz algumas considerações sobre a possibilidade de diminuir o risco. Abaixo algumas dicas importantes segundo a mastologista:

 

1-      Ingestão de frutas e vegetais diminui (pouco, porém diminuem) o risco de câncer de mama;

 

2-      Consumo de dieta saudável rica em vitamina A, Betacaroteno, vitamina C, folato e leite com baixo teor de gordura diminuem o risco de câncer de mama;

 

3-      Alto IMC aumenta o risco de câncer de mama na pós-menopausa;

O aumento do peso após a menopausa está relacionado ao aumento de risco para câncer de mama, principalmente os subtipos luminais (um dos tipos mais comuns de câncer de mama). Mulheres que apresentaram aumento do IMC para níveis de obesidade comparada com as que se mantiveram com IMC normal apresentaram chance de câncer de mama duas vezes maior. Um estudo mostrou aumento de 11% do risco para cada 5kg ganhos após a menopausa.

A hiperinsulinemia, alteração muito relacionada à obesidade, também aumenta o risco de câncer de mama.

 

4-      Atividade Física;

Aqui temos um fator protetor. Estudos mostram que o risco diminui em 5% para cada 2h/semana de incremento de atividade física vigorosa.

 

5-      Consumo de álcool aumenta o risco de câncer de mama;

A cada 10 gramas/dia de ingestão o risco de câncer de mama aumenta 9%. E os estudos mostram que o uso recente de álcool dia vida adulta é mais prejudicial do que o uso precoce, e a diminuição do consumo diminui o risco de câncer de mama. O risco também aumenta com a dose ingerida de álcool e pode chegar a aumentar até 33% em pessoas que consomem 15-30g/dia.

 

     A especialista ainda alerta, que de modo geral, não existem formas diretamente eficazes, que possam evitar o câncer de mama. Por isso, é de extrema importância que se faça os exames de rastreamento para garantir. “O diagnóstico precoce aumenta consideravelmente as chances de cura”, dispara a especialista.