Infecção urinária, do diagnóstico ao tratamento
(foto ilustrativa - freepik )

Infecção urinária, do diagnóstico ao tratamento

 

 

O número de mulheres que desenvolvem infecção urinária chega a 30% da população

   

      A infecção urinária é um problema recorrente na grande maioria da população, tanto em homens quanto em mulheres, sendo no sexo feminino sua maior predominância.

Cerca de 30% das mulheres segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, terão infecção urinária ao longo da vida. Deste total, um número bem significativo irá desenvolver infecção urinária por repetição, que indica, ter pelo menos dois episódios do problema durante o período de seis meses.

O médico especialista Dr. Rafael De Conti (CRM-11042/RQE-5242) é Urologista e explica abaixo sobre o assuntoconta; trazendo informações sobre quais os principais sintomas, porque a infecção acontece, como ela dever ser tratada, entre outras informações que precisam ser levadas em consideração.

 

O que é propriamente a infecção urinária?

Rafael de Conti (RC): Infecção urinária é qualquer infecção por micro-organismos que acometa o trato urinário. Dependendo da estrutura acometida, a infecção tem nomes diferentes: uretrite (uretra), cistite (bexiga) ou pielonefrite (rins).

As Infecções do Trato Urinário (ITUs) representam um sério problema de saúde para os pacientes e um custo alto para a sociedade. ITUs são também a mais frequente infecção associada à assistência médica. A bactéria Escherichia coli é o patógeno predominante em ITUs não complicadas, enquanto outras enterobactérias e enterococos são isolados com maior frequência em pacientes com doenças urológicas. O desenvolvimento atual de resistência bacteriana é alarmante e as taxas de resistência estão relacionadas aos antibióticos utilizados nos diferentes países. É preocupante o aumento da resistência para antibióticos de amplo espectro. Portanto, é essencial limitar o uso de antibióticos em geral.

 

Porque a infecção urinária acontece?

RC: Geralmente as bactérias se aproveitam de situações em que temos queda da imunidade, sendo mais frequente em pacientes com imunossupressão, por exemplo pacientes em quimioterapia e pacientes debilitados por outras doenças como o diabetes. Também ocorre em pacientes com problemas do sistema urinário, como pedra nos rins, uso de sondas e pacientes com hiperplasia prostática, por exemplo.

 

Como deve ser tratada?

RC: Depende sempre do microrganismo que causou a infecção. Na imensa maioria das vezes é causada por bactérias, sendo, então, tratada por antibióticos específicos.

 

Nunca se deve tomar medicamentos por conta própria certo?

RC:Com certeza não. O uso sem critérios de antibióticos é a maior causa da resistência bacteriana aos medicamentos. Pois o tratamento é diferente para cada paciente. Cada situação específica é tratada de forma diferente pelo médico. Por exemplo, infecções em gestantes são situações especiais e precisam ser tratadas de forma específica.

 

Como acontece o tratamento?

RC:No caso de infecção bacteriana usamos antibióticos, geralmente no período de três a sete dias, conforme a gravidade e o local da infecção (se é na bexiga, na uretra, nos rins). O tratamento depende do local do trato urinário que ocorreu a infecção e da gravidade. Nas infeções mais simples o tratamento pode ser de um a três dias e nos casos mais complicados podemos usar antibiótico por 14 a 21 dias. Nas infecções recorrentes em alguns casos usamos antibiótico preventivo (profilático), para prevenir que a infecção retorne. Daí, nestes casos, usamos antibiótico em baixa dose diária por vários meses. É importante ressaltar que é necessário principalmente aumentar muito a ingesta de líquidos e repouso por alguns dias.

 

Homens e mulheres podem ter infecção urinária?

RC: Sim, pode ocorrer em homens ou mulheres, mas as mulheres têm muito mais infecção que os homens por fatores da anatomia feminina. As mulheres têm a uretra bem mais curta que os homens devido à maior proximidade do ânus com o vestíbulo vaginal e uretra, o que torna mais fácil uma bactéria conseguir penetrar na bexiga. Cerca de 30% das mulheres vão apresentar ITU leve ou grave em algum momento da vida. A mulher tem 50 vezes mais chance de ter o problema do que o homem. Entre os principais sintomas estão: ardência ao urinar, urgência miccional, ou seja, a mulher vai várias vezes ao banheiro urinar, urina avermelhada (com sangue) e dores na parte de baixo do abdome. As infecções também podem ser recorrentes se não tratada de forma adequada.

 

 Este tipo de problema pode levar a óbito se não tratada?

RC:Sim. Uma infecção não tratada pode se agravar, e, como qualquer infecção, pode evoluir para uma septicemia e morte.

 

Porque gestantes geralmente desenvolvem este problema mais facilmente?

RC: A frequência em mulheres grávidas é aproximadamente a mesma que em mulheres não grávidas, no entanto, infecções recorrentes são mais comuns durante a gravidez. Adicionalmente, a ocorrência da pielonefrite (infecção renal) é mais elevada durante a gestação do que na população em geral, provavelmente como um resultado de alterações fisiológicas e queda da imunidade das vias urinárias no período.

 

Qual principal idade que o problema pode acontecer?

RC:Durante o primeiro ano de vida, devido ao maior número de malformações congênitas, acomete preferencialmente o sexo masculino. A partir desse período, durante toda a infância e principalmente na fase pré-escolar, as meninas são acometidas por infecção do trato urinário de dez a 20 vezes mais que os meninos. Na vida adulta, a incidência de infecção urinária se eleva e o predomínio no sexo feminino se mantém, com picos de maior acometimento no início ou relacionado à atividade sexual, durante a gestação ou na menopausa, de forma que 48% das mulheres apresentam pelo menos um episódio de infecção urinária ao longo da vida. Porém em crianças o problema também é comum acontecer.

 

Importante

     Se você sentir algum incômodo ao urinar (ardência ou dor), ou algum outro sintoma que possa ser um indicativo de infecção urinária, procure o mais rápido possível um especialista. A infecção urinária, quando não tratada, pode trazer sérios danos à saúde. A pessoa que vir apresentar o problema precisa receber um acompanhamento médico contínuo para evitar justamente o aparecimento de outros problemas.

Notícias São José