Como prevenir lesões no esporte

Como prevenir lesões no esporte

Trabalho de fortalecimento e força reduz o índice de problemas

 

     Há um convívio rotineiro dos ortopedistas e médicos do Esporte com as lesões esportivas, mas a preocupação tem aumentado na medida em que observamos o aumento do índice de lesões em praticantes de atividades físicas amadoras.

Segundo o médico ortopedista e cirurgião Dr. Mário César Búrigo Filho (CRM/SC 13463 RQE 6544/14473), há um crescimento preocupante de lesões relacionadas com a falta de preparação para a prática de atividades esportivas. ”Vale destacar sempre, que em âmbito profissional a prevenção já é uma realidade e uma obsessão. Essa prevenção tem por base a preparação muscular, força e coordenação motora. Cada vez mais as pré-temporadas, seja para qualquer atividade esportiva profissional, principalmente o futebol, são realizadas com bola, visando o aprimoramento do gesto esportivo enquanto se busca a melhora do condicionamento físico, e não mais foco estrito apenas na parte física. O treinamento do gesto esportivo previne lesões”, alerta o especialista.

     Segundo o ortopedista, a FIFA, há alguns anos, desenvolveu e vem disseminando o programa "11+" baseado em 15 exercícios, com algumas variações, orientados para que sejam feitos após o aquecimento, especialmente de atletas em formação, mas também nos grupos principalmente no futebol. “ Foram analisados, que os primeiros trabalhos científicos que monitoram a implementação desse método em clubes profissionais, tem sido bem expressivo com redução do índice de lesões, variando de 30 a 50% entre os trabalhos. De novo, força e coordenação motora como mecanismos proprioceptivos de prevenção”, salienta Filho.

      Com base nestas informações, trazendo isso para o nosso mundo; ou seja, para a realidade das pessoas que praticam esporte amador, não há como se dissociar dessa verdade. As pessoas que não se preparam para o esporte a que se propõe praticar, e não se exercita de forma gradual na melhora do seu condicionamento, terá problemas com lesão e perda de estímulo para manter a sua prática saudável. “É fundamental entender que a corridinha no campo do bairro, o giro de bike com os amigos, a zumba divertida, a energia descarregada no muay thai, o futebolzinho e o surfe do fim de semana... tudo isso, com a chegada da idade se não houver uma preparação para o gesto esportivo incorrerá em lesão”, alerta.

 

A prática correta de exercícios

 

     A prática de atividade física deve ser desenvolvida conforme o gosto de cada pessoa. É válido destacar, que ao adotar tais hábitos, trará uma considerável melhora na qualidade de vida. Além de contribuir com o funcionamento cerebral, prevenir e diminuir os marcadores de doenças como a diabetes e hipertensão. “Mas a prática deve ser rotineira e saudável, visando a manutenção da força muscular com o chegar dos anos vividos. Eu costumo dizer aos pacientes, que osso não sustenta ninguém, quem sustenta é o músculo, mas pra isso ele precisa ser usado, ou seja, treinado. Por isso oriento: crie e mantenha seu hábito. Procure uma avaliação pré-participativa e uma orientação de um profissional para saber o caminho correto, progressivo e gradual na prática desportiva. A prevenção vem antes da lesão”, finaliza o ortopedista.

 

Colaboração: Mário C. Búrigo Filho

Ortopedista cirurgião do Joelho e Médico do Esporte

Mestre em Ciências da Saúde 

CRM/SC 13463  RQE 6544/14473

Notícias São José