Artrose: Como o processo degenerativo do corpo gera o problema

Artrose: Como o processo degenerativo do corpo gera o problema

O processo degenerativo do corpo

     Não há um número exato, mas é em torno dos 30 anos que se inicia nosso processo degenerativo, ou seja, começamos a envelhecer. Ao longo do último século, os grandes avanços da Medicina fizeram com que a curva descendente do envelhecimento se estendesse e a expectativa de vida chegasse em números nunca antes imaginados. Na era dos romanos normalmente vivíamos cerca de 30/40 anos. Atingir a idade senil era quase uma dádiva dos Deuses. Se outorgava aos idosos a experiência e a sabedoria em função da raridade que era se atingir os 50/60 anos. 

 

Biomecânica

     Hoje sabemos que as oportunidades, a construção, que damos ao nosso organismo durante o processo de crescimento e constituição corporal, terão reflexo direto na qualidade de vida que teremos durante o processo de envelhecer. Especialmente em relação a massa muscular, sabemos que a prática de atividades físicas inibe o processo de perda de massa e força, chamado Sarcopenia, e vai ajudar no controle do processo degenerativo articular que, obrigatoriamente, nos acomete. Ter uma boa musculatura significa melhor equilíbrio e menor sobrecarga articular. Nossas articulações nada mais são do que braços de alavanca. Trabalham com vetores de força aplicadas sobre suas estruturas durante nossos deslocamentos e atividades de cotidiano. A Medicina, e outras ciências da área da saúde do corpo humano, costuma chamar essa ciência de Biomecânica. Usualmente, também, engenheiros aparecem envolvidos nos seus estudos. 

 

O desgaste das articulações

    Todas as articulações tem tendência ao desgaste articular, mas especialmente as articulações do esqueleto axial, submetidas à força da gravidade, como coluna, quadril, joelhos e tornozelos; têm maior suscetibilidade ao processo degenerativo e ao desgaste da cartilagem da articulação. Esse processo degenerativo articular leva o nome de artrose. As artroses são classificadas em primárias ou secundárias. As secundárias estão normalmente relacionadas com sequelas de trauma (considerado um dos males do século XXI) e doenças reumáticas. As primárias, muito mais comum na incidência sobre a população, tem sua etiologia desconhecida, e estão diretamente relacionadas a alterações biomecânicas articulares. 

     A OMS (Organização Mundial de Saúde), atenta a esta relação entre o aumento da expectativa de vida e o aumento da incidência de artrose, preconiza a atividade física como um dos principais fatores de prevenção do desgaste articular. Parece um contrassenso, mas está estabelecido na literatura que quanto melhor for a força muscular, menor será a sobrecarga que sofre uma articulação e sua cartilagem.

 

     Envelhecer todos iremos. Nossa única certeza é que nascemos para morrer. Que isso se de ao menos com qualidade é um esforço de hábitos positivos e saudáveis. Estejamos atentos. 

 

Mário C. Búrigo Filho

Ortopedista cirurgião do Joelho e Médico do Esporte

Mestre em Ciências da Saúde 

CRM/SC 13463 RQE 6544/14473

Notícias São José